Quais as áreas de atuação do fisioterapeuta

fisioterapeuta

A carreira de fisioterapeuta é uma das bastante procuradas na área da saúde, porém muitos estudantes ao ingressarem no curso não sabem exatamente quais as áreas de atuação da profissão.

Vamos iniciar com a descrição do curso de graduação EAD em Fisioterapia do UniDomBosco para dar maior clareza sobre a profissão.

O Curso de Fisioterapia tem como objetivo os estudos do movimento humano em todas as suas formas de expressão e potencialidades, quer nas alterações patológicas, cinético-funcionais, quer nas suas repercussões psíquicas e orgânicas, objetivando a preservar, desenvolver, restaurar a integridade de órgãos, sistemas e funções, desde a elaboração do diagnóstico físico e funcional, eleição e execução dos procedimentos fisioterapêuticos pertinentes a cada situação. O curso busca formação prática e humanizado. O período de integralização do curso é de 10 semestres, o que totaliza cinco anos de curso. O curso também prevê estágios curriculares que são desenvolvidos de forma articulada e contemplam atividades práticas em Ambulatório de Fisioterapia, Rede Básica, Fisioterapia Clínica, e Fisioterapia Hospitalar.

O curso de Fisioterapia possibilita um leque de atuação, permitindo ao profissional atuar em Hospitais; Clínicas e consultórios de Fisioterapia; Empresa; Escolas Especiais; Gestão em Saúde; Docência; Pesquisa; Clubes Esportivos; Centros de Treinamentos; Centros de Estética; Lar de Idosos; SPA.

Como é o mercado de trabalho?

Dentro desse contexto pode-se ver que o mercado de trabalho é bastante amplo para o profissional de fisioterapia e pesquisas têm mostrado que a procura por esse tipo de profissional cresceu quase 200% nos últimos dois anos. Grande parte dessa procura tem relação com a pandemia e as sequelas deixadas pela Covid, mas também com o aumento da expectativa de vida e maior conhecimento por parte da população sobre a profissão e seus benefícios.

A média salarial no Brasil para o fisioterapeuta é de R$ 3.000,00, porém a variação é bem alta dependendo da especialização do profissional e local de atuação.

Falando em especialização, quais as principais áreas em que o fisioterapeuta pode atuar?

No episódio 10 do podcast Dom Universitário, as professoras Salete Do Rocio e Isabela Pelloso falaram sobre as áreas de atuação do fisioterapeuta.

Deram destaque para 13 delas, falando um pouco mais sobre cada uma.

Foi uma conversa bem interessante e vamos pincelar os principais momentos, mas para ouvir na íntegra, acesse o link: DOM Universitário- Episódio 10.

  • Acupuntura- uma área recente de atuação do fisioterapeuta, mas que tem interessado aos profissionais que buscam se especializar.
  • Fisioterapia aquática- é uma das áreas mais atrativas.
  • Fisioterapia cardiovascular- existe uma demanda alta de profissionais para atuar nessa área.
  • Fisioterapia dermatofuncional- também conhecida como fisioterapia estética. Há uma alta procura por parte dos profissionais para atuação nessa área. Muitos estudantes, inclusive, ingressam na graduação já com esse foco. Mas ela não se resume somente à estética e, sim, lida com todas as questões de pele, como queimaduras, doenças e cicatrizes de pele.
  • Fisioterapia esportiva- uma das áreas mais conhecidas. Muitos estudantes, principalmente homens, buscam a carreira com foco nessa atuação.
  • Fisioterapia em gerontologia- área com grande campo de atuação devido à expectativa de vida da população estar em constante aumento. Além desse aumento, existe uma busca maior por qualidade de vida e envelhecimento de forma saudável, e o fisioterapeuta colabora muito neste aspecto.
  • Fisioterapia do trabalho- As lesões por esforço repetitivo são muito comuns e o papel do fisioterapeuta dentro das empresas é bastante significativo, inclusive minimizando custos e melhorando qualidade.
  • Fisioterapia neurofuncional- área mais antiga de atuação do fisioterapeuta. Atua na recuperação neurológica de adultos e crianças, em casos como, por exemplo, de paralisia cerebral, AVC.
  • Fisioterapia oncológica- área com muita produção de conhecimento e muita contribuição dos profissionais da fisioterapia.
  • Fisioterapia cardiorrespiratória;- essa área, desde a pandemia, está com frequência na mídia. A atuação nos casos de COVID foi essencial, mas ela ocorre também em outros tipos de casos, em UTIS e clínicas.
  • Fisioterapia ortopédica e traumatológica- área também bastante conhecida e reconhecida.
  • Fisioterapia com Osteopatia- muitos profissionais têm buscado essa área de especialização e obtido excelentes resultados na redução da dor.
  • Fisioterapia em quiropraxia- os leigos confundem com a osteopatia, mas elas são bem diferentes em relação às técnicas manuais.
  • Fisioterapia na saúde da mulher- atuação no pré, pós ou durante o parto e em toda a saúde uroginecológica. É uma área que está despontando e tem muito caminho a ser trilhado.
  • Fisioterapia em terapia intensiva- ocorre tanto no neonatal quanto em adultos, pensando tanto na parte respiratória quanto na de movimentos.
  • Teleatendimento na fisioterapia- a pandemia trouxe essa realidade e deve se manter. Não no sentido de substituir o contato manual e a integração humanizada, mas em casos específicos.

 

O bate-papo trouxe muitas outras informações sobre as especializações que, após a graduação, o profissional pode fazer e falou um pouco também da formação dada pelo curso de graduação.

O curso de fisioterapia traz uma formação generalista, passando pelas principais áreas de atuação e, ao final dela, o profissional escolhe em qual área quer se especializar.

Isso ocorre tanto nas pós-graduações como nas residências multiprofissionais ou de fisioterapia.

O episódio do podcast tem duração de quase uma hora e, se você já está nessa graduação ou quer ingressar, não pode deixar de ouvi-lo e aprender muito.