Dia Internacional da Igualdade Feminina

mulher-e-homem-em-uma-balança-igualada

Não é preciso dizer que ainda vivemos em um mundo no qual a igualdade de gênero é uma questão a ser debatida. Na verdade, é preciso dizer. Porque, ainda, nos dias de hoje, mesmo após muitas conquistas femininas, a desigualdade existe, mas, pior que existir, é ser vista por muitos como inexistente.

Temos, obviamente, diferenças gritantes entre essa desigualdade sendo vista em diferentes partes do mundo. Porém, mesmo em países e culturas onde o patriarcado não é mais tão forte, vemos, por exemplo, diferenças salariais entre homens e mulheres. Vemos mulheres respondendo perguntas em entrevistas de emprego que nunca são feitas aos homens, e uma infinidade de outras coisas que poderiam ser listadas.

Devido a tudo isso é que, mesmo estando no ano de 2022, seja preciso comemorar, ou talvez seja melhor dizer, conscientizar sobre o dia 26 de agosto e a importância do Dia Internacional da Igualdade Feminina.

Quando foi criado o Dia Internacional da Igualdade Feminina?

No dia 26 de agosto de 1973, o Congresso dos Estados Unidos decidiu definir esse dia como homenagem à aprovação da 19ª emenda, que permitiu o voto às mulheres americanas. Essa aprovação aconteceu 53 anos antes dessa homenagem, ou seja, em 1920.

No Brasil, só em 1934 existiu a liberação e somente em 1946 se tornou obrigatório, como para os homens. E, na Arábia Saudita, isso só ocorreu em 2011. E não, você não está lendo a data errada.

Observe essa linha do tempo de conquistas das mulheres no Brasil:

  • 1827- as mulheres puderam frequentar a escola básica
  • 1879- as mulheres puderam frequentar as universidades
  • 1916- as mulheres poderiam trabalhar fora de casa, com autorização do marido, e o homem poderia anular o casamento caso descobrisse que a mulher não era virgem (isso só mudou com a alteração do Código Civil em 2002). A família da noiva poderia deserdá-la.
  • 1932 – as mulheres conquistaram o direito de voto
  • 1934- foi eleita a primeira representante do gênero feminino
  • 1985- criação da primeira delegacia da mulher
  • 2006- criação da Lei Maria da Penha

Desde então…

Todo dia 26 de agosto, desde o ano de 1973, esse dia tem como objetivo principal o pensar e conscientizar sobre esse tema. Isso porque a luta, como observamos até aqui, tanto neste artigo, quanto nas vivências, é diária.

No Fórum Econômico Mundial de 2019, no relatório divulgado sobre o tema da desigualdade de gênero, mostrou-se que muitos avanços existiram, porém, que no campo trabalhista, ainda existe um longo caminho a percorrer.

Apesar da diferença ser menor do que era há quinze anos, a desigualdade subiu em 2019 chegando a 257 anos, contra os 202 do ano anterior, com uma diferença salarial global de 40%.

Diante de tudo isso, fica bem evidenciado a importância desse Dia Internacional da Igualdade Feminina e de todas as manifestações ao redor do mundo para que, não somente neste dia, tratem sobre o tema. Como já dito, é uma luta diária e que percorre caminhos mais lentos do que deveriam, porém que não deve e não pode parar.

Seja você de qual gênero for, essa luta é de todos.